A Wet N Wild NÃO É cruelty-free


A comunidade cruelty-free foi surpreendida com o recente alerta da Suzana Rose, autora do Cruelty-Free Kitty, que apanhou a Wet N Wild a vender os seus produtos na China. A marca foi vista na Watsons, a maior loja de saúde e beleza desse país.


Este expositor da Wet N Wild encontra-se numa Watsons em Xangai. A fotografia foi tirada por um contacto imparcial que o Cruelty-Free Kitty tem na China, juntamente com outras imagens que podem ser visualizadas aqui. Foi a partir destas evidências, bem como através de denúncias feitas por pessoas que encontraram a marca à venda em lojas chinesas, que o site supracitado conseguiu comprovar, após alguns meses de escrutínio, que a Wet N Wild está, de facto, no mercado chinês.

A primeira reacção da marca, face a esta controvérsia, foi manter-se em silêncio, não comentando sobre o assunto e a ignorar as pessoas que estavam a pedir esclarecimentos sobre toda a situação. Comentários com críticas menos positivas chegaram a ser apagados.

Mas água mole em pedra dura tanto bate até que fura e a Wet N Wild acabou por anunciar no Stories do seu Instagram o seguinte:

Wet n Wild does not test on animals. Wet n Wild is a global brand for beauty lovers, inclusive of all ages, ethnicities, skin colors, ideologies and economic statuses. Cruelty-free has and will remain a key pillar of our brand. in 2018, Watsons began offering our products to beauty enthusiasts in China via a pilot program in 30 stores. Wet n Wild products sold in China are domestically manufactured in China, and as such do not require animal testing.

Since 2014, China no longer requires animal testing for domestic non-special use cosmetics. Wet n Wild products were able to enter the Chinese market maintaining our commitment to providing customers cruelty-free, high-quality, on-trend products they can feel good about buying and wearing. As a trusted leader in cruelty-free beauty, we will continue to work closely with the Chinese government, and all governments, to adhere to our strict guidelines for cruelty-free beauty globally.

Resumindo, a Wet N Wild explica que começou a vender os seus itens em 30 lojas Watsons, mas que os seus produtos vendidos na China também são fabricados na China, pelo que os testes em animais não são requeridos.

No entanto, as coisas não são tão lineares assim e esta declaração apresenta dois problemas:

• Apesar da China ter deixado de exigir testes em animais para cosméticos comuns produzidos em território nacional, os mesmos não são proibidos. Isso dá liberdade aos fabricantes de fazer testes em animais se assim o desejarem;

• Ademais, o país tem uma lei que permite que produtos pós-comercializados sejam testados em animais. Essa lei sofreu algumas mudanças mas os testes em animais não foram banidos, pelo que podem ocorrer. Quando essa notícia surgiu, a Humane Society International alertou:

It’s encouraging but not yet a guarantee that no animal testing will ever again happen post-market, and pre-market animal testing for imported cosmetics remains as before. So what’s changed? China recently released for the first time its post-market testing plan, and it reveals that no animal tests are listed for routine post-market surveillance.

However, in the case of non-routine tests, eg: a consumer complaint about a product, unless/until authorities accept modern non-animal eye/skin irritation tests, and invest in local infrastructure to use such tests, animal testing could still be the default.

Pre-market cosmetic animal testing in China for foreign imports and special-use products, remains unchanged.

(É encorajador, mas ainda não é uma garantia de que nenhum teste em animais ocorrerá após a comercialização (...). Então, o que mudou? A China lançou pela primeira vez o seu plano de testes pós-comercialização e revela que nenhum teste em animais é listado para a vigilância de rotina pós-comercialização.

No entanto, no caso de testes não rotineiros, ex.: uma reclamação do consumidor sobre um produto, a menos que as autoridades aceitem testes de irritação dos olhos e da pele sem usar animais, e invistam na infraestrutura local para fazer esses testes, os testes em animais continuam a ser o padrão.

Os testes em animais em cosméticos pré-comercializados na China para importações estrangeiras e produtos de uso especial [protectores solares, tintas capilares, etc.] permanecem inalterados.)

ARTIGO: A China e os testes em animais

Outro detalhe que revela a falta de transparência da Wet N Wild é que esta passou a vender na China em 2018 mas continuou a garantir aos consumidores que não estava comercialmente estabelecida lá. O Cruelty-Free Kitty referiu que contactou a marca em Março deste ano e que a mesma frisou que não vendia na China.

A Wet N Wild não é mais certificada pelo Leaping Bunny

A Markwins, empresa à qual a Wet N Wild pertence, foi removida da lista do Leaping Bunny. Tal acontece quando uma empresa/marca deixa de se comprometer com os requisitos do Leaping Bunny. Há marcas que perdem essa certificação mas que permanecem cruelty-free, mas no caso da Wet N Wild é evidente que a sua entrada na China alterou o seu estatuto.

A Wet N Wild continua a usar o símbolo cruelty-free nos seus produtos

Apesar de recomendada pela PETA a Wet N Wild chegou a ser apagada da lista, tendo sido restituída em 2012:

After talks with PETA, cruelty-free cosmetics giant Markwins, the parent company of the popular brand wet n wild, confirmed that it does not market its products or pay for any animal testing in China. Markwins has been restored to our list of companies that do not test on animals.

(Depois de dialogar com a PETA, a Markwins, controladora da popular marca Wet N Wild, confirmou que não comercializa os seus produtos nem paga por quaisquer testes em animais na China. A Markwins foi restaurada para a nossa lista de empresas que não testam em animais.)

Não está explícito, mas é possível que a Wet N Wild tenha sido apanhada pela PETA a vender os seus produtos na China e, caso tenha sido isso, pelos vistos não aprendeu com o seu erro. Até agora a PETA não se pronunciou, mas é provável que siga o mesmo caminho da Leaping Bunny e que retire a sua certificação à Wet N Wild.
Por enquanto, a Wet N Wild continua a utilizar o selo da PETA e declarar-se cruelty-free, quando não o é.


Para deixar tudo bem claro:

• Cosméticos comuns fabricados e vendidos na China podem passar por testes em animais;

• Cosméticos vendidos na China podem ser retirados das prateleiras e passar por testes em animais;

• A Wet N Wild cita que a venda dos seus produtos está inserida num programa piloto, o que não impede que estes sejam testados em animais;

• Não há provas de que as marcas tenham algum controlo sobre os testes pré e pós-comercialização. O governo chinês pode encaminhar qualquer produto para que seja testado em animais em qualquer momento e sem que as marcas sejam contactadas. Isto faz com que as marcas nem sequer fiquem cientes do que se está a passar.

Por estes motivos, retirei a Wet N Wild da lista cruelty-free da Quebra do Silêncio.

-----------------------------------------------------------------

Procuram por marcas e produtos cruelty-free? Vejam a mega lista de marcas cruelty-free e a lista de marcas mencionadas no blogue ❤

Sem comentários