Jean Paul Gaultier vai deixar de usar peles de animais


É oficial: Jean-Paul Gaultier, um dos estilistas franceses mais famosos da alta costura, declarou que vai deixar de utilizar peles de animais nas suas futuras colecções.

O modo como os animais são mortos pelas suas peles é absolutamente deplorável, asseverou o estilista. O comunicado foi transmitido na televisão francesa na sexta-feira, dia 9.

A decisão decorre depois de vários anos de campanhas de sensibilização, como uma invasão a uma das suas boutiques em 2006, organizada pela PETA, para protestar contra o uso de peles de animais e constantes pedidos online por associações de defesa dos animais, activistas e civis.

Assim, Gaultier junta-se a Gucci, Versace, Galliano, Ralph Lauren, Armani, Michael Kors, Vivienne Westwood e Stella McCartney em banir as peles nos seus trabalhos.


O uso de peles está a decrescer, mas existem outras vítimas da moda

Mimi Bekhechi, directora dos programas internacionais da PETA, refere que a decisão de vários estilistas no que toca a abandonar o uso de peles indica uma mudança de mentalidades, bem como cada vez mais pessoas não desejam utilizar mais nada proveniente de animais que são aprisionados, electrocutados e agredidos até à morte. No entanto, é essencial frisar a importância da conscientização contra qualquer tipo de material de origem animal que seja usado para a produção de calçado, vestuário e outros acessórios. Assim como a pele, o couro, seda, lã, entre outros, escondem uma realidade igualmente cruel e que não deve ser financiada.

O pêlo falso será assim tão falso?

A China é a maior produtora e exportadora de peles. Para além de etiquetarem peles de cães e gatos como sendo de raposa, é frequente contornarem as proibições e restrições de algumas marcas, que excluíram peles de animais, rotulando peles verdadeiras como falsas. Isso faz com que inúmeras peças e acessórios tenham pêlo de animal, apesar da composição das mesmas classificá-lo como sintético. Por este motivo, pensem duas vezes antes de comprar um casaco que tenha pêlo no capuz ou outro item com esse material: é altamente provável que esse pêlo seja de um animal que foi espancado, assassinado a golpe de machados ou até mesmo esfolado vivo.


Notícia traduzida e adaptada de Plant Based News
Fotografia: Google

2 comentários

  1. Realmente, nunca teremos a certeza se o pêlo daquele casaco de capuz será tão sintético assim :\

    ResponderEliminar
  2. Mais uma boa notícia!!!!
    Já não era sem tempo, do mundo da moda, parar de promover a matança de animais, quando as modas passam tão rápido afinal, e peles sintéticas fazem um efeito bem semelhante...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar