13 marcas que pensamos ser cruelty-free, mas que não são



O termo cruelty-free aplica-se a produtos que não foram testados em animais, sendo que só pode ser considerada totalmente livre de testes em animais toda a empresa que:

– Não realize testes em animais;
– Não compre ingredientes a fornecedores que testam em animais;
– Não envie ingredientes para que terceiros testem em animais;
– Não venda em regiões que obrigam testes em animais.

Já para ser classificado como vegano, um produto, além de cruelty-free, não deve ter nenhum ingrediente de origem animal.

Infelizmente, muitas marcas continuam a sujeitar-se a um sistema que sacrifica milhares de animais por ano, sendo que algumas delas são erradamente vistas como livres de crueldade pelos consumidores. Abaixo seguem alguns exemplos.

Nota de actualização (27/01/2020): Para a lista ficar mais completa, foram acrescentados os prints das declarações das marcas apresentadas, bem como as respectivas traduções e outros materiais considerados relevantes.


1. RIMMEL LONDON

A Rimmel pertence à Coty Inc., uma das muitas empresas que continua a sujeitar-se a testes em animais por vender as suas marcas na China.

Declaração da Rimmel London no seu site. {fonte}
Na Coty, não testamos os nossos produtos em animais e estamos comprometidos em acabar com os testes em animais na nossa indústria. (...)
Alguns governos ou agências estipulam testes de produtos acabados em animais de acordo com os requisitos legais e regulamentares locais. Um exemplo é a China, onde continuamos envolvidos no diálogo com as autoridades chinesas, inclusive por meio da nossa participação activa em grupos industriais, para encontrar alternativas aos testes em animais.

Para entrar no mercado chinês, uma empresa ou marca tem de assinar um contrato no qual permite que as autoridades do país testem os seus produtos em animais. Além disso, também precisa de pagar taxas ao governo chinês para que esses testes sejam feitos. Só esse pormenor torna a declaração da Coty (e de outras empresas com o mesmo discurso) incoerente: como podem lutar contra os testes em animais se comercializam num país que os exige e ainda têm de pagar para que os mesmos ocorram?


2. L'ORÉAL

A L'Oréal também não é cruelty-free por vender na China.

Declaração da L'Oréal no seu site português. {fonte}

Veja-se que nenhuma empresa pode ser considerada cruelty-free mesmo quando os testes em animais são terceirizados, como acontece na China. Afinal, a empresa escolheu e, consequentemente autorizou, que os seus produtos fossem testados em animais, pelo que também é responsável pelos mesmos.
Para uma empresa/marca ser cruelty-free não deve estar envolvida em testes com animais de modo algum, seja directa ou indirectamente.


3. BENEFIT

Além de ser vendida na China, a Benefit pertence à LVMH. A situação da LVMH é igual às restantes empresas e marcas aqui listadas: permite que os seus produtos sejam testados em animais.

 Declaração da Benefit no seu site. {fonte}
Desde 1989, as empresas de Perfumes e Cosméticos do grupo LVMH (incluindo a Benefit Cosmetics) não realizam testes em animais para os seus produtos - isso foi implementado muito antes da proibição oficial de 2013 estabelecida pela União Europeia. (...)

Alguns clientes expressaram preocupação com a situação na China. Os nossos produtos são fabricados na Europa e, para cosméticos importados, as autoridades sanitárias chinesas solicitam alguns testes em animais: elas exigem que as empresas disponibilizem os seus produtos para serem testados em laboratórios certificados pelo estado apenas para fins de registo, por actualmente ser o único método reconhecido para demonstrar a segurança do produto.

Apesar da LVMH ter marcas que não são vendidas na China, ao comprá-las estamos a dar dinheiro a uma empresa que lucra com o sofrimento dos animais. Por esse motivo, não apoio e não divulgo essas marcas.
Ademais, a LVMH também financia a tortura e morte de animais de outra maneira: especializada em artigos de luxo, cabedal, lã, seda e peles são utilizados em vestuário e acessórios.


4. BOURJOIS

A Bourjois pertence à Coty Inc. e é vendida na China. Só o site francês apresenta uma declaração sobre a política de testes em animais, semelhante à da Rimmel London.

Excerto da declaração da Bourjois no seu site francês. {fonte} 
Sabe-se que a China é, actualmente, o único pais que ainda exige testes obrigatórios em animais em todos os produtos cosméticos importados para o país. No entanto, temos participado activamente através de um diálogo com as autoridades e órgãos reguladores chineses, principalmente por meio da CAFFCI. A China começou, recentemente, a estudar alternativas aos testes em animais e solicitou, como tal, o apoio de cientistas europeus.

5. REVLON

Outra multinacional que coloca o lucro acima da ética. No site, apresenta o seguinte esclarecimento:

Declaração da Revlon no seu site. {fonte} 
A Revlon não faz testes em animais há décadas. Testamos exaustivamente todos os nossos produtos usando os métodos disponíveis mais avançados tecnologicamente, para garantir que são inovadores e seguros de usar. Acreditamos que todas as mulheres devem ter a oportunidade de se expressar através da maquilhagem e vendemos os nossos produtos em muitos mercados ao redor do mundo.
As autoridades reguladoras de alguns países realizam testes independentes para satisfazer os seus próprios requisitos obrigatórios de registo e um número limitado desses países ainda não adoptou métodos alternativos. Embora a Revlon cumpra os requisitos de segurança em todos os países, continuamos a colaborar com outras empresas para advogar pela adopção de métodos alternativos e pela eliminação de testes em animais em todo o mundo.

Algumas marcas da Revlon são: Natural Honey, Elizabeth Arden, American Crew, Almay e Orofluido.


6. AVÈNE

A declaração da política de testes em animais da Avène difere de site para site: enquanto alguns nada referem sobre o assunto (como o caso do site português), outros não indicam toda a verdade (como o site australiano, que diz somente que a Avène não testa em animais). No entanto, o site britânico apresenta uma declaração mais completa.

Declaração da Avène {fonte} e notícia sobre as suas vendas na China no site da Pierre Fabre, empresa da marca {fonte}
Declaração da Avène {fonte} e notícia sobre as suas vendas na China no site da Pierre Fabre, empresa da marca {fonte}
(...) Comercializamos os nossos produtos na China. Lá, os testes são impostos pelas regulamentações locais e realizados por laboratórios privados e credenciados pelas autoridades chinesas. Alguns desses testes são realizados em animais. Os Laboratórios Eau Thermale Avène apoiam activamente as acções da Cosmetics Europe para persuadir as autoridades chinesas a suspender os testes em animais e a usar métodos alternativos disponíveis. Acreditamos que, ao trabalhar com as autoridades chinesas, teremos mais chances de alcançar esse objectivo e continuaremos a pressioná-los até que haja uma resolução.

Assim como quase todas as empresas nas mesmas circunstâncias, a Avène tenta usar o diálogo com as agências chinesas como uma justificação para estar estabelecida comercialmente na China, quando podia muito bem trabalhar com essas autoridades sem vender os seus produtos no país.


7. VICTORIA'S SECRET

Com uma linha de perfumes e cosméticos, a Victoria's Secret deixou de ser cruelty-free quando entrou no mercado chinês.

Declaração da L Brands, proprietária da Victoria's Secret, no seu site. {fonte} 
A Victoria's Secret é contra testes em animais e nenhum produto, formulação ou ingrediente da marca foi testado em animais pela empresa. Quando a Victoria's Secret foi introduzida na China em 2016, os produtos de cuidados pessoais da empresa - como todos os produtos de cuidados pessoais importados para a China - foram submetidos a testes em animais pelo governo chinês para cumprir as suas directrizes de segurança. Embora não realizemos testes, sentimos a necessidade de sermos transparentes com os nossos clientes e, naquele momento, paramos de afirmar que os nossos produtos da Victoria's Secret não eram testados em animais. Desde então, duas coisas aconteceram:

A. O governo chinês tem evoluído os seus requisitos de testes. Os produtos de cuidados pessoais, fabricados na China para serem vendidos na China, não precisam mais de serem testados em animais.
B. Com essa mudança de regulamentação em mente, estamos a trabalhar diligentemente para garantir que os fabricantes na China podem produzir produtos de higiene pessoal da Victoria's Secret, atendendo aos nossos padrões de qualidade e segurança.

Estamos a fazer grandes progressos para localizar a produção de cada vez mais produtos de cuidados pessoais da Victoria's Secret vendidos na China, para minimizar os testes em animais. Continuamos a avaliar rigorosamente as nossas opções, com o objectivo final de que todos os nossos produtos de cuidados pessoais vendidos na China sejam fabricados no país por parceiros chineses estabelecidos que compartilham os nossos valores. Os produtos de cuidados pessoais da Victoria's Secret, vendidos no resto do mundo, são produzidos na América do Norte, Europa e Coreia do Sul.

Tendo em conta esta declaração, é importante ressaltar que:

Apesar dos testes em animais não serem obrigatórios em produtos fabricados na China, esses testes não estão proibidos - ou seja, ainda há o risco dos produtos serem testados em animais;

A China também tem uma lei pós-comercialização que envolve produtos que já se encontram à venda. Essa lei mudou ligeiramente em 2019, deixando de ser obrigatória, mas o governo e as autoridades chinesas podem, se considerarem necessário, retirar os produtos das prateleiras e testá-los em animais na mesma;

Por outras palavras, toda a empresa/marca que venda na China tem os seus produtos submetidos a testes em animais. Por isso, e sem excepção, nenhuma empresa/marca que venda na China é cruelty-free.


8. AVON

Em Dezembro de 2019, foi notícia que a Avon Products Inc. deixaria de testar em animais em todo o mundo, China inclusive. Infelizmente, essa informação é enganosa pelos mesmos motivos que a Victoria's Secret:

Embora os testes não sejam mais mandatórios para cosméticos fabricados na China, não estão proibidos. O mesmo aplica-se para os produtos pós-comercializados. Além disso, a lei continua a exigir que os produtos sejam testados em animais caso haja alguma reclamação por parte de um consumidor. Nesses casos, os produtos são retirados das lojas e testados em animais antes de serem colocados à venda novamente.

A Avon afirma, no seu site, que reformulou alguns produtos para que estes não passem por testes em animais. {fonte} No entanto, isso não elimina o supracitado: não elimina a possibilidade de algum consumidor fazer uma reclamação, bem como não elimina a decisão das autoridades ou do governo de testar em animais quando desejarem. Nenhuma marca, incluindo a Avon, pode proibir os testes em animais quando as autoridades ou o governo chinês assim o decidem.

Para finalizar, a Natura, empresa que adquiriu a Avon Products Inc., faz parte do conselho deliberativo da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). A ABIHPEC tentou impedir a proibição de testes em animais no Rio de Janeiro e Amazonas, submetendo no STF (Supremo Tribunal Federal) processos jurídicos que questionam as leis que proíbem esses testes no sector cosmético. {fonte} Podem consultar a acção de inconstitucionalidade aqui.

A ABIHPEC também é composta pela Johnson & Johnson, Nivea, Colgate e L'Oréal, entre outras empresas que testam em animais.


9. YVES ROCHER

A Yves Rocher é bastante divulgada como sendo cruelty-free, o que está longe de ser verdade. Infelizmente, está presente na China e, por isso, autoriza que os seus produtos sejam testados em animais.
No site português não há qualquer tipo de informação, mas no francês podemos encontrar esta declaração:

Posicionamento da Yves Rocher sobre os testes em animais no seu site francês. {fonte} 
(...) Os regulamentos na China são diferentes dos de outros países onde operamos. De facto, as autoridades chinesas podem decidir testar produtos cosméticos em animais, independentemente da marca, antes de comercializá-los no seu território. A China é a única a decidir sobre esse ponto.
No entanto, nós não baixamos os braços! Para aumentar a conscientização sobre o sofrimento dos animais, optamos por agir localmente e usar a nossa presença para tentar mudar as coisas. Para isso, mantemos contacto com as mais altas autoridades chinesas. O nosso objectivo: convencê-las de que actualmente existem métodos alternativos eficazes e confiáveis.

Vira o disco e toca o mesmo: as empresas podem agir localmente na China sem precisarem de vender os seus produtos lá. É hipócrita intitularem-se contra os testes em animais ao mesmo tempo que assinam um contrato no qual permitem que os mesmos aconteçam.


10. MARY KAY

A empresa anuncia abertamente no site que cede os seus produtos para serem testados em animais quando a lei assim o manda.

Lista de países onde a Mary Kay está à venda. {fonte}

Declaração da Mary Kay sobre testes em animais no site português. {fonte}


11. ORIFLAME

Sim, também vende na China.

Posicionamento da Oriflame no seu site português. {fonte}

Um aparte sobre a última frase: é engraçado a Oriflame afirmar que submete os seus produtos a testes em animais relutantemente, quando comercializa na China por livre e espontânea vontade, mesmo tendo conhecimento das directrizes sobre os testes em animais lá implementadas.


12. M.A.C

Como pertence à Estée Lauder, uma das inúmeras empresas que testam em animais quando requerido por lei, não é cruelty-free.

Declaração da M.A.C sobre testes em animais no seu site. {fonte} 
A M.A.C não realiza testes em animais. Não possuímos instalações para testes em animais e nunca pedimos que outras pessoas testem em animais para nós. Embora alguns governos realizem testes em animais para provar a segurança antes de nos permitirem vender os nossos produtos, a M.A.C nunca testou em animais e continua a ser líder no movimento para terminar globalmente com os testes em animais. Para esse fim, estamos orgulhosos de fazer parceria com o IIVS, para expandir o uso e a aceitação de testes sem animais em todo o mundo.

A M.A.C tenta desvincular-se dos testes em animais praticados pelas autoridades chinesas, mas a sua situação é igual às restantes marcas e empresas que optam por vender na China: ao deixar que os seus produtos sejam testados em animais, também é responsável por esses testes.


13. AUSSIE

Esta marca de produtos para o cabelo pertence à Procter & Gamble, uma multinacional que testa em animais.
Declaração sobre a política de testes em animais da P&G no site da Aussie. {fonte} 
Não testamos os nossos produtos em animais em nenhuma parte do mundo, a menos que seja requirido por lei, e estamos a trabalhar arduamente para tornar os testes em animais obsoletos (...).
Somos apoiantes orgulhosos da #BeCrueltyFree e investimos mais de 420 milhões de dólares no desenvolvimento de métodos de testes que não envolvam animais (...). Continuaremos a trabalhar com parceiros como a HSI e a PETA, para promover o desenvolvimento de novas alternativas e defender o seu uso e adopção públicos para eliminar os testes em animais.

Nesta declaração, a P&G procura posicionar-se favoravelmente, ao explicar o quanto contribui para o desenvolvimento de testes sem animais. No entanto, tudo isso não deixa de ser o contrário das suas outras práticas: como foi possível ler ao longo do artigo, quase todas as empresas com as mesmas políticas da P&G fazem declarações semelhantes, numa tentativa de maquilhar a realidade  de que todas elas testam em animais e/ou autorizam testes em animais para benefício próprio.

--------------------------------------------------------------------------------------------

Querem conhecer marcas, produtos e alternativas verdadeiramente cruelty-free? Vejam este artigo ou enviem uma mensagem se procurarem por algo específico.

34 comentários

  1. Fico para lá de chateada quando adoro uma marca, vejo que não contém produtos de origem animal, que se assume como cruelty-free e depois descubro que afinal não é. E tenho um bocadinho de vergonha de admitir que, infelizmente, não sou 100% cruelty-free. O processo para o veganismo tem sido para mim uma longa jornada, e se deixar de comer carne e peixe foi facílimo, só deixei de consumir ovos e laticínios quando juntei a minha saúde à equação. Nos cosméticos já uso produtos cruelty-free quando encontro marcas de que gosto, mas não tenho a força de vontade para não comprar um verniz da Rimmel, por exemplo, quando ainda não conheço alternativas, ou para deixar os produtos da Caudalie que são tão bons para a minha pele. É uma porcaria, eu sei, e completamente em contradição com os meus valores. Em relação a esta lista, a maior facada foi da Benefit. Espero que a Too Faced não seja a próxima :'(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. P.S. Tenho usado o châmpo da Elisa Câmara que recomendaste aqui no blog e estou a notar diferenças no meu cabelo, que está mais denso e menos oleoso :)

      Eliminar
    2. Compreendo perfeitamente a tua frustração: é realmente muito chato descobrirmos que as marcas que mais adoramos são testadas em animais.
      Quanto à pele, espreita estes dois sites [x] [x]; acho que vais encontrar umas coisas interessantes. Sobre vernizes, posso dizer-te que a Cliché e a Andreia não testam em animais e os vernizes de cor são veganos: fica também atenta porque brevemente publicarei um artigo só com vernizes cruelty-free :)

      Eliminar
    3. Olá. Sendo alguém que há muitos anos deixou para trás qualquer produto testado em animais posso dizer que foi uma mais valia para o meu corpo, visto que os produtos que uso são muito melhores que qualquer um que usava antes. Em relação à pele, troquei tudo por uma única coisa - óleo de coco. Melhor tratamento para a minha pele, melhor anti-rugas que existe, melhor tudo... Já não há cremes de noite, cremes de dia, cremes de corpo, cremes de cara, anti-rugas para os olhos... apenas óleo de coco. Confesso que nunca gostei dos produtos da Elisa Câmara, mas se queres uma excelente marca que tem tudo e mais alguma coisa para cabelo, pele e lábios é a Dr. Organic. É um pouco mais caro mas vale bem a pena. E na verdade, ao começar a usar oleo de coco, as únicas coisas que compro são champô, condicionador e óleo de argan para o cabelo. Quanto a vernizes e maquilhagens, não uso portanto não posso falar...

      Eliminar
    4. O óleo de coco é bastante versátil e serve para quase tudo; só não o acho a melhor opção para quem tem pele mista/oleosa (experiência própria) mas consegue substituir muita coisa e acaba por ser mais barato.
      Os produtos para os lábios da Dr. Organic têm lanolina, pelo que não são veganos.

      Eliminar
    5. Eu já uso alguns produtos da Dr. Organic, mas acho os champôs e amaciadores demasiado caros, principalmente porque tenho que lavar o cabelo diariamente. Há uma marca chamada Faith in Nature (devem conhecer) que costuma ter packs de champô e amaciador (ambos de 250ml) por menos de €10. Vou experimentar esses quando terminar o da Elisa Câmara =)

      Eliminar
    6. Tentou usar os produtos da Lola Cosmetics (pra cabelo)? É 100% vegano, e nao possui ingredientes que danificam o cabelo. Recomendo. E agora estão lançando alguns produtos pra pele também.

      Eliminar
    7. Não há Lola Cosmetics em Portugal.

      Eliminar
  2. Não fiquei surpreendida com esta lista, até porque sempre que via referências a marcas como a Benefit ou a Avene ficava sempre desconfiada até que ponto eram mesmo cruelty free :/ a esta lista ainda acrescentaria a Caudalie, como já foi referido pela Nádia, que tem na embalagem o símbolo cruelty free mas depois vende na China :( é triste porque tens marcas com bons produtos a fazer falsa propaganda de algo tão importante...

    ResponderEliminar
  3. Descobri agora o blog através do facebook e vou estar atenta. O meu caminho é mais inicial, deixei a carne e o peixe, o leite, faço os possíveis por escolher os melhores produtos de limpeza e procuro sempre os que tenham os selos cruelty-free, mas não sou ainda vegetariana e não sei se algum dia serei vegana. Mas sei que tento todos os dias fazer um pouco melhor. Fiquei surpreendida com algumas das marcas, mas infelizmente já percebi que, nessas indústrias nem tudo o que parece, é. Já agora, há algum texto sobre produtos (châmpos, cremes, cosmética) dos que são realmente seguros? :D Grata!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bárbara,
      Podes encontrar uma lista com vários produtos de higiene e cosmética aqui [x]. Essa lista encontra-se sempre em actualização, pelo que vai visitando-a de vez em quando :)

      Beijinho*

      Eliminar
    2. Obrigada! Já tenho uma lista para as próximas compras!

      Eliminar
  4. Levei o seu link para minha página do blog no FB. Importante divulgar!

    ResponderEliminar
  5. Boa, fico sempre feliz em saber quem devo evitar!

    ResponderEliminar
  6. Obrigada pela sugestão de ajuda. Não funcionou, mas agradeço na mesma o tempo dispensado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que já está resolvido! Muito obrigada pela prontidão na resposta e pela disponibilidade.

      Já agora: gostei muito do tema geral do teu blog, vou ler com mais atenção :)

      Eliminar
    2. Ufa, ainda bem.
      Passa por aqui as vezes que quiseres :)

      Beijinho*

      Eliminar
  7. E COMO FICA A SITUAÇÃO PARA QUEM PRECISA TOMAR REMÉDIOS? COMO SABER?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como os medicamentos são quase todos testados em animais, fica muito mais complicado. Já li que os medicamentos genéricos não são testados (pelo menos aqui em Portugal), mas nunca consegui encontrar provas que corroborassem essa informação. Por outro lado, há doenças que implicam a prescrição de imensos remédios que podem ser evitadas e até mesmo anuladas com uma alimentação vegetariana estrita e saudável.

      Eliminar
  8. E eu que sou uma veterana quanto a este assunto... Há anos que todos os dias luto contra estas e todas as situações que me chegam por email, como petições vindas de todos os pontos do planeta, pertenço à PETA,... Sempre me disseram que a Oriflame, Yves Rocher e o Boticário, não testavam em animais!!
    Sou representante destas marcas!!��
    O que me podem ilucidar acerca disto, por favor? ��

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde,

      Como deves ter lido no artigo, a Oriflame e a Yves Rocher estão envolvidas em testes com animais por venderem na China. Qualquer empresa/marca internacional que comercialize na China tem de aceitar o regulamento que exige testes em animais. Podes ler mais sobre este assunto aqui:
      https://logicalharmony.net/animal-testing-and-china/
      Quanto ao Boticário, tanto já li que não testam como terceirizam os testes.
      Sobre a PETA, as listas que apresentam são incompletas e têm alguns erros. Contudo, se fores ao site deles e pesquisares por Yves Rocher e Oriflame aparecerá isto:

      Yves Rocher
      Warning! This company DOES test on animals.


      Oriflame
      Warning! This company DOES test on animals.



      As empresas que testam e/ou vendem na China tentam sempre suavizar ou contornar o assunto, pelo que é normal ficarmos sem saber. Mas a verdade é esta e essas empresas podem tentar justificar-se como quiserem, dizendo que é o regulamento chinês que faz os testes e não a empresa: não deixa de ser terceirização e aceitação dos testes em animais.

      Espero ter esclarecido :)

      Eliminar
  9. Fico na dúvida sobre a Natura, no site aparece sem teste em animais, mas em muitos blogs falam q o sac dá respostas contraditórias sobre o assunto. Você sabe de algo?
    Gosto muito do corretivo deles.
    verdeveggie.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Júlia,
      O que se passa com a Natura é o seguinte: afirmam que são cruelty-free e no contacto que lhes enviei também o disseram. No entanto, a marca nunca conseguiu confirmar que não estava envolvida no escândalo do Instituto Royal e por isso muitas pessoas boicotam. Também há quem diga que eles não comprovam que não terceirizam testes.

      Eliminar
    2. Obrigada pelas informações, gostaria de saber de marcas que posso confiar que não fazem textes em animais.

      Eliminar
    3. Bom dia,
      Para além das que estão na lista e que não são testadas em animais, podes ver uma lista de marcas cruelty-free aqui: http://bit.ly/listademarcas-crueltyfree
      Outros produtos cruelty-free: http://bit.ly/listacrueltyfree
      Se fores de Portugal, tens este grupo: https://www.facebook.com/groups/679787525526988
      Se fores do Brasil, aconselho-te este: https://www.facebook.com/groups/trollajuda/

      Eliminar
  10. Olá bom dia, vi no site da KIKO que têm notas em como não testam em animais mas não sei bem se é confiável alguém tem experiência ou conhecimento acerca desta marca? Obrigada e desde já os parabéns pela dedicação!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde,
      De acordo com o Cruelty-Free Kitty, um dos sites mais confiáveis sobre este assunto, a KIKO não testa em animais :) https://www.crueltyfreekitty.com/news/does-kiko-test-on-animals/
      https://www.crueltyfreekitty.com/brand/kiko/

      Eliminar
  11. Sinceramente não percebi o esclarecimento que deu da Yve Rocher.. só porque vende para a China é automáticamente cruel?
    Disse que vende, não que produz na China. Fiquei sem compreender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia,
      Estou a reformular o blogue e este artigo vai ser alterado para melhor esclarecimento. Mas, resumindo, qualquer empresa/marca que venda na China não é cruelty-free porque os testes em animais são obrigatórios nesse país.

      Eliminar
  12. Ai e que se engana, existe sim Lola Cosmetics em Portugal.
    Uso e amo muito.
    Pesquise: Don & Dona , recomendo esta loja

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando comentei que não havia, na altura é porque de facto não havia. Sei que há agora, até escrevi sobre um produto aqui: https://grito-silenciado.blogspot.com/2019/03/achados-veganos-champo-lola-cosmetics.html

      Eliminar